Toreador

Da perspectiva Toreador, quando o sol se põe, a escuridão faz surgir um mundo eterno e maravilhoso. Tudo está cheio de maravilha e terror, politicas rasteiras e glórias sensuais, o profundo e o profano, e uma tendência inegável ao sanguinário. Estes Membros são os Toreador, e eles passam suas não-vidas abrigados no prazer.

Claro, para vampiros com esta disposição, é fácil tornar-se cansado e amargo. Mais do que outros Clãs, os Toreador muitas vezes sucumbuem ao tédio, ou lutam contra o eventual tédio da imortalidade jogando jogos de rivalidade. Um excesso de estímulo os torna escravos das sensações que procuram. O Toreador mais degradado pode se tortar um verdadeiro monstro, afundando-se em níveis inimagináveis de depravação, para, no fim, não ser capaz de sentir absolutamente nada.

Os Membros do Clã Toreador muitas vezes envolvem-se muito no mundo dos mortais. Eles têm uma série de razões, se alegrando com a proximidade ao rubor da
vida, cativando verdadeiros cultos de seguidores apaixonados ou influenciando e seguindo das tendências de sua própria espécie, zombando e venerando a uma só vez. Para ouvir o que os Toreador têm a dizer, eles são as Musas do desesperado mundo mortal, inspirando através de sua beleza ou mecenato.

A cultura Toreador é uma mistura de sibaritas, diletantes e visionários. Alguns Toreador, que ecoam a paixão mortal, Abraçam amantes ou “projeto” de progênie que pareçam voar na face de cada costume Toreador. Estes ou não duram muito tempo ou chegam a um lugar de destaque como subversivos e individualistas. Ideias, tendências e “a próxima coisa grandiosa” se espalhou pelo Clã, e outros Membros muitas vezes olham para os Toreador em busca de quem os guie. Os Degenerados sabem disso, e muitos se tornam Hárpias, Príncipes e outras figuras-chave na sociedade vampírica.